Sunday, October 31, 2004
Lazy...


 

Humm... chuva lá fora... lareira acesa... e eu na minha almofada... a cozinhar mais uma estória...

Posted at 10:14 pm by Clotilde
Comments (2)  

Saturday, October 16, 2004
Joaninha



Esta é a Joaninha... a nova habitante cá de casa... as minha humanas adoptaram-na depois de ter sido escorraçada, grávida, da sua própria casa pelos seus humanos...

A sua estória é triste... era magra, não falava e tinha um ar infeliz... hoje está gorda, continua sem falar e continua com o seu ar triste, mas tem conforto e comida no prato...! Tem humanas que cuidam dela, tem um lar...

Já é velhota e tem, agora, a oportunidade de ser um verdadeiro gato de casa, o que deveria ter acontecido logo quando se mudou para casa daqueles humanos...

Fica a minha homenagem e testemunho... sê feliz Joaninha!!

Posted at 02:17 pm by Clotilde
Comments (2)  

Sunday, October 10, 2004
Voltei!

A Gata Clotilde voltou!!! Mais preta do que nunca, mais gata do que jamais, com mais estorias para contar...


Posted at 04:30 pm by Clotilde
Comments (1)  

Monday, August 09, 2004
Miauuu...

A Gata Clotilde está viva... miauuu... só que sem tempo para contar o que se passa no mundo dos humanos...

Lambidelas a todos... prometo estórias de arrepiar...

Posted at 10:24 pm by Clotilde
Comments (3)  

Tuesday, July 20, 2004
Entre as flores


Posted at 01:46 pm by Clotilde
Make a comment  

Wednesday, June 30, 2004
Um País...

... pequenino, que em tempos foi grande, ou dizem que foi grande... eu não estava cá para ver...!

Algumas pessoas desse país lutaram com garras e dentes para trazer para os seus estádios um tal de europeu de futebol...! Conseguiram...


Muito se falou, bem mal, assim-assim...


Mas o que é certo é que a partir das 19:45h dos dias em que esse país joga, tudo pára...!


Bandeiras esvoaçam pelas janelas, varandas, carros, moras, bicicletas... bebés, crianças, jovens, adultos e velhos deliram com cada bola que entra na baliza...


GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLO,


gritam de vez em quando... erram, esperneiam, choram... e no fim de tudo, andam de carro, como loucos, a buzinar e a gritar...


Confesso que a minha alma de gata preta, lá bem no fundo, até acha piada e gosta de ver... é realmente bonito ver a onda de nacionalismo que se apoderou dos meus amigos humanos... bandeiras, orgulho nacional, até já se fala em Scolari para 1º ministro (piada de gata...)!! É realemtne bonito...


Mas quando todos forem para casa, quando as luzes dos estádios de apagarem, e os jogadores regressarem para as suas equipas de profissão, as bandeiras serão enroladas, os carros guardados nas garagens, e a vida regressa ao normal... ao normal não... nunca, pois "correm o risco" de ganhar esse tal europeu de futebol...


Esse país pequenino, por uns tempos, vai voltar a ser grande... até que as luzes se apagam e o árbito vai dormir... e aí já não há nada a fazer senão viver a realidade...


Sou feliz como gata...  


Posted at 11:05 pm by Clotilde
Comments (3)  

Tuesday, June 08, 2004
Bad dream...

Era uma vez uma gata preta chamada Clotilde...
que dormia feliz numa cadeira...


Mas... teve um pesadelo... o Mundo estava voltado do avesso...
já nada fazia sentido...


até que acordou, e percebeu que tudo tinha sido um pesadelo...


Posted at 11:35 pm by Clotilde
Comments (1)  

Wednesday, May 19, 2004
2º Capitulo da estória de uma gata preta bebé

A pedido de muitas famílias, a Gata Clotilde vai terminar a estória da Diggy, recordo que esta estória É VERÍDICA!!

2º Capitulo

Fechada num sítio escuro e desconhecido, a Diggy estava desesperada... a pouco e pouco o cheiro ia-a envolvendo cada vez vez mais, o sono começava a tomar conta do seu pequeno corpinho de gatinha bebé, e começava a desistir... um último miado, cujo som mais parecia um pequeno gemido inocento, terminou com a sua resistência, e deixou-se fechar os olhinhos ainda com cor de bebé.


Mas o que a Diggy não sabia é que a sua humana preferida andava desesperada à sua procura! Talvez ainda a salvasse... restavam-lhe apenas uns poucos minutos para o sono eterno... já não pedia ajuda, e isso era mau...

A sua humana, numa última tentativa, perguntou à vizinha,que por sinal é SUA TIA (casada com o irmão do pai) se tinha visto a pequena Diggy, já que esta estava a brincar no quintal, e a outra andava igualmente no seu quintal a tratar das flores.

A TIA disse que não, não tinha visto qualquer gato preto... mas a humana da Diggy, que estava junto do portão de entrada para o quinta da TIA, quis entrar para procurar, podia, sabe-se lá como, ter entrado para lá e ter-se escondido em algum síto que a TIA não tivesse dado conta... Esta, a TIA, recusou-se a deixar a humana entrar... ela achou estranho e continuou a insistir, falando mais alto, sobrepondo-se a sua voz à da TIA.

Nisto, e com um resquício de forças vindas do desconhecido, Diggy mia uma última vez... e a sua humana ouve, percebendo de onde vinha o som!

Entra pelo quintal a dentro, empurrando a TIA, dirige-se para a portinha da casinha das botijas de gás, e de lá tira a pequena e inocente Diggy, quase inanimada, mas ainda de olhitos levemente abertos.

A TIA fechara a pobre gatinha bebé na casinha onde guarda as botijas do gás, numa tentativa de acabar com a sua curta vida de gata preta! Não consegui apenas porque a humana da gatita se lembrou de lhe perguntar se a vira, e num acto de desespero a pequena Diggy chamou por ela...

O que faz um ser humano ter uma atitude desta para com um ser vivo ainda bebé? A inveja, a maldade a podridão... Abaixo todas as TIAS que fazem mal aos animais...

VIVAM OS GATOS E TODOS OS OUTROS CONSIDERADOS COMO "INFERIORES"...



E agora digam-me... quem é o ser inferior?

Posted at 01:47 pm by Clotilde
Comments (4)  

Friday, May 14, 2004
Crueldade... denúncia!

A Gata Clotilde vai revelar um segredo...

Sim, daqueles fechados a sete chaves, que não se revelam em universos bloguistas... gatais (em vez de pessoais, claro...)!


A Gata Clotilde tem uma irmã... sim, uma irmã mais pequenina chamada Diggy! A Diggy tem uma humana, a Nocas (ou seria Nini?), que a adora como se fosse uma irmã! Nunca vi uma humana dedicar tanto tempo a uma gatinha bebé hiperactiva como a minha irmãzinha!


Era uma vez uma gata preta bebé chamada Diggy...

A Diggy vivia numa casa grande e tinha uma familia de humanos só para ela! Deram-lhe, a certa altura, uma nova humana vinda de um país estranho... ficou assustada a pensar que teria de mudar de vida, mas não, afinal a outra humana também pertencia à mesma família... ficou mais contente pela sua presença e depressa de afeiçoou a ela!


Passavam o tempo todo juntas... essa humana não devia fazer mais nada, pois desde que chegara desse país estranho nunca mais a largara... melhor para a Funinhas, que estava sempre entretida a massacrar a sua nova humana.


É uma gatinha preta feliz... dorme, come, bebe leitinho da wiskas, brinca, corre, salta e mordisca as mãos da sua humana preferida...


Numa tarde de sol, parecia quase Verão, a Diggy brincava sozinha no páteo da casa onde vivia com os seus humanos, que tinham saído, excepto a sua humana preferida... Ora corria atrás da sua cauda (os gatinhos bebés têm estas parecenças com os cães... depois crescem e percebem como é ridiculo correr atrás da própria cauda...), ora atrás de uma borboleta, ora olhava para os peixes que nadavam felizes no lago.

Estava, precisamente a ver um peixe muito grande, o rei dos peixes do lago, quando se sentiu a levitar... algo a segurava... ela não conseguia ver quem era, pois estava de rabo para o que quer que a tivesse levantado pelo ar...! Achou, no entanto, que era a sua humana, apesar de não lhe reconhecer o cheiro! Deixou-se estar, e não miou.


Saiu pelo portão do jardim, para o lado da rua... achou estranho, mas confiante que era a sua humana, não pensou no assunto, seguindo com os olhitos de gatinha bebé uma borboleta que esvoaçava do outro lado do muro, por cima de umas rosas. Entrou por outro portão, e, um pouco mais adiante, pousaram-na no chão, junto a uma coisa verde grande que cheirava mal... empurraram-na para junto dessa coisa verde, e fecharam uma porta...


De iníco, a Diggy não ligou muita importância, e começou a cheirar aquela coisa verde e fria... uns parcos raios de luz espreitavam por uns buraquinhos de uma porta metálica e tão fria quanto a coisa verde.


Depois de perceber que não reconhecia nenhum daqueles cheiros, começou a ficar assustada... havia um cheiro mais forte, nauseabundo, que o seu narizinho cor de rosa abosrvia a cada respiração...!
Tentou empurrar com a patinha preta aquilo que julgava ser a porta... que não se mexia... começou, então, a arranhar, com as suas unhitas bebés, numa tentativa assustada de sair dalí e respirar um ar conhecido... começava a sufocar, o medo, o pânico, o pavor... a Diggy começou, então, a miar... cada vez mais alto, mais alto, mais alto... mas ninguém a ouvia...


(Continua no próximo capitulo)

Posted at 11:59 pm by Clotilde
Comments (6)  

Sunday, May 02, 2004
Era uma vez...

uma gata preta que, após uma longa ausência, decidiu ir dar mais uma volta pelo mundo dos humanos, esses seres estranhos que, tal como os macacos e as galinhas, andam em cima de duas pernas...


Após uma espreguiçadela bem demorada, esgueirei-me pela porta da cozinha que a minha humana deixou aberta, talvez por esquecimento...!
Comecei a andar sem qualquer destino... estava pensativa, pensando no nada! Nem me apercebi quando, de súbito, fui "acordada" por uma multidão que gritava... uma multidão de humanos, entenda-se...!
Tinha de ir ver o que se passava, enfim... "a curiosidade matou o gato", já dizem os humanos mais enrugados...!
Deparei-me, então, com uma cena deveras estranha... como gata que sou, não sei contar... mas estava um bando de humanos num campo verde a correr atrás de uma bola... e os outros, os que gritavam, estavam sentados numa espécie de escadaria... achei a cena bastante estranha, pois... quem corre atrás de uma bola?? Nem um cão, que só se preocupa com o apanhar da cauda... miauuu, mente inferior!!
Quer dizer... uma bola até tem a sua piada, rola, é fofinha, as unhas enterram-se nelas... mas... correr atrás??? Humanos...

 Bem... perante aquela triste cena, decidi observar mais um pouco...
Portanto... uns correm para um lado tentando acertar com a bola numa armação de rede... os otros fazem o mesmo, mas em sentido contrário... ok, até aquijá percebi... os humanos gritam pelo grupo quer mais gostam... como o escolhem? Deve ser pela cor... uns têm riscas verdes, os outros camisolas vermelhas...!

De súbito, um dos verdes acerta na armação de rede, e as pessoas que gritam por eles têm um ataque de histerismo... ok... depois dizem que são a única forma de vida com inteligência...! Os outros estão furiosos! Está um humanozito lá pelo meio vestido de preto, e levanta um papel vermelho para um vestido igualmente de vermelho... o qual ficou absolutamente furibundo...  os de verde aplaudem... os das bancadas que gritam pelos de vermelho estão a ficar cada vez mais furiosos... e começam a querer bater nos outros que gritam pelos de verde... e eu vou-me embora daqui, pois daqui a pouco ainda fico uma gata preta com um olho negro...

Acho que vou à procura de um grupo de cães e admirá-los... sempre correm atrás das caudas e não gritam...

Estes humanos são doidos...

Posted at 05:44 pm by Clotilde
Make a comment  


Next Page



Eu sou a Gata Clotilde!




Estou aqui numa missão... dar a conhecer ao Mundo

os meus pensamentos de Gata...






   

<< August 2017 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03 04 05
06 07 08 09 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31





that's me... miauuu










If you want to be updated on this weblog Enter your email here:




rss feed